Como a Adrenalina pode ajudar (e prejudicar) os seus Estudos

Tempo de leitura: 5 minutos

Os estudos em ritmo intenso e a expectativa de conquistar uma vaga no serviço público fazem com que o organismo reaja produzindo uma alta concentração de certas substâncias, como a adrenalina.

À medida que mudamos nosso estado psicológico e nossos comportamentos no dia a dia, a química do nosso corpo vai mudando. E, com esses compostos circulando na corrente sanguínea em doses diferentes do habitual, as nossas funções orgânicas funcionam de forma diferente.

Ou seja, há uma espécie de ciclo na atuação dessas substâncias, como a adrenalina, que é secretada por um estímulo e tem como consequência a produção de outros estímulos, que podem ser benéficos ou não, dependendo do momento e da sua dosagem.

O segredo, então, é entender como a adrenalina pode ajudar durante a sua preparação para concursos públicos e quando ela não deve ser estimulada, para que não se corra o risco de obter efeitos indesejados.

Continue comigo neste artigo e descubra tudo o que a adrenalina pode causar de benefícios e malefícios na sua preparação para concursos públicos.

O que é adrenalina e como ela age no organismo?

adrenalina e como ela age no organismo
Também conhecida como epinefrina, principalmente em termos técnicos, a adrenalina é um hormônio neurotransmissor secretado pelas glândulas suprarrenais.

É também conhecida como o hormônio dos esportes radicais, já que é liberada em situações de perigo e esforços físicos de alta intensidade. A função da adrenalina é preparar o corpo para enfrentar as situações de luta e fuga, mesmo que imaginárias, já que o cérebro não distingue o que é real e o que é fictício.

Outras situações que causam o aumento do hormônio são quando ficamos com medo, preocupação excessiva ou em estado eufórico. Nesses casos, o hipotálamo (região cerebral que controla o sistema nervoso autônomo) envia um sinal para as glândulas suprarrenais produzirem mais adrenalina.

Quando a concentração de adrenalina está alta no sangue, acontecem alguns efeitos no organismo como:

• Aumento dos batimentos cardíacos
• Aumento da contração dos ventrículos
• Liberação de ácidos graxos do tecido adiposo
• Dilatação das pupilas
• Respiração acelerada

E o que tudo isso significa? Esses sintomas mostram que a adrenalina deixa o organismo pronto para entrar em modo de aceleração e foco, ou seja, prepara você para tarefas intensas como fugir, lutar ou estudar com todo o gás para o seu concurso público.

Quais são os efeitos da adrenalina nos estudos?

efeitos da adrenalina nos estudos
Você talvez já tenha lido algo sobre a curva do esquecimento , que nos diz que quanto mais o tempo vai passando, maior é o esquecimento de um determinado conteúdo. De forma semelhante há outro tipo de gráfico, que é a curva do foco.

Essa curva é apresentada em dois eixos, na vertical há a representação da atenção e no horizontal está a motivação. Para que haja foco, a atenção e a motivação devem se encontrar no ponto mais alto da curva.

Como a adrenalina aumenta o ritmo do nosso organismo, nos deixando mais ativos e dispostos, ela faz a curva do foco ir para direita e para cima, ou seja, deixando a situação mais favorável para os seus estudos.

Quando a adrenalina está muito baixa, a tendência é esquecermos as nossas motivações e entrar em estado de desânimo por qualquer motivo. Além disso, a concentração vai para o espaço e qualquer inseto passando pela sua janela parece mais interessante do que o seu material de estudos.

Essa falta de adrenalina correndo pelo sangue pode atrasar os seus estudos, mas o excesso dela também é prejudicial.

Não deixe de ler também:

 

Como aumentar a produção de adrenalina?

aumentar a produção de adrenalina
A adrenalina é um dos hormônios mais importantes para os concurseiros, afinal, manter o foco e a energia em alta é essencial para encarar a rotina de estudos. Por isso, se a sua adrenalina não estiver em um nível suficiente, é interessante fazer algo para aumentar a sua produção.

Praticar atividades físicas intensas é algo benéfico para o organismo como um todo e estimula a produção rápida de adrenalina. Esportes radicais são ideais para liberar adrenalina no sangue, mas podem resultar em uma concentração excessiva do hormônio. O ideal, então, é fazer exercícios intensos, mas nem tanto, como uma corrida, pedalada ou musculação.

Brincar com jogos de ação também é uma boa maneira de aumentar o seu nível de adrenalina e, de quebra, estimula a velocidade de raciocínio.

Assistir filmes de suspense ou de terror leve podem ser boas opções para entretenimento e, claro, para liberação de adrenalina pela situação de medo ou susto.

Como a adrenalina pode prejudicar os estudos?

como memorizar melhor- memoria auditiva
Se você estiver produzindo adrenalina em grandes concentrações, ela pode deixar o seu sistema nervoso em estado de euforia e inquietação.

Animação é algo muito bom para manter a motivação sempre fresca na mente, mas quando é demais, o foco fica prejudicado. Em estado eufórico é quase impossível alguém conseguir ficar sentado estudando sem ter vontade de andar pela casa ou sair por aí passeando.

Então, ao menor sinal de adrenalina nas alturas, é recomendado desacelerar a mente e informar o hipotálamo que o momento é de calmaria e que o seu corpo não precisa ficar pronto para lutar ou fugir.

Para diminuir um pouco a secreção do hormônio é bastante simples. É preciso fazer uma atividade relaxante, como meditação, respiração profunda, alongamento ou simplesmente ficar um tempo em repouso.

Gostou das dicas do texto? Conhece alguém que precisa aumentar ou diminuir a adrenalina? Compartilhe este artigo.