Curva do esquecimento: o impacto da memorização nos seus estudos para concursos

Tempo de leitura: 3 minutos

Estudar para concursos públicos não é uma tarefa fácil, é preciso muita disciplina, planejamento, ritmo de estudos e fixar os conteúdos na memória.

De nada adianta estudar muito se você não lembrar o que estudou, não é mesmo? Por isso, é muito importante entender a curva do esquecimento.

Esquecer parte do conteúdo estudado é normal, é humanamente impossível decorar 100% de todas as leis, teorias, fórmulas e mais tantas outras coisas que constam no edital do seu concurso.

Mas, é possível diminuir esse esquecimento se você entender como a dinâmica da curva do esquecimento funciona e o que fazer para deixar a sua curva menos intensa.

Continue lendo esse artigo e aproveite nossas dicas que ajudarão você a melhorar a sua rotina de estudos e evoluir na fixação de conteúdo.

Clique aqui e confira agora todos os cursos disponíveis que o Estratégia Concursos preparou para garantir a sua aprovação.

O que é curva do esquecimento?

enter image description here
O conceito de curva do esquecimento é bem antigo, criado em 1885 pelo filósofo alemão Hermann Ebbinghaus. Ele observou que quanto mais o tempo vai passando, mais esquecemos o que foi visto ou lido por nós.

Então, o filósofo montou um gráfico em curva demonstrando que no momento em que acabamos de estudar, lembramos de praticamente tudo, e, à medida que o tempo vai passando, a curva vai aumentando, até chegar ao ponto de termos esquecido quase tudo.

Isso acontece porque o cérebro entende que não é necessário gravar na memória as informações que não são usadas. Imagine se nós tivéssemos a recordação de tudo o que vimos na rua, todas as bobagens que nos falam todos os dias, seria muito “lixo” na cabeça, não é verdade?

Pena que o nosso sistema neurológico não sabe diferenciar as informações úteis das inúteis. O único jeito de fazer com que o esquecimento das matérias estudadas não diminua naturalmente ao longo do tempo é “avisando” o cérebro que você precisa dessas informações armazenadas.

Ou seja, é preciso fazer uso do conteúdo repetidas vezes, até que ele seja incorporada à sua memória de longo prazo, reduzindo sua curva de esquecimento.

Curso Estudo e Memorização do Renato Alves

O que fazer para não esquecer a matéria?

enter image description here
Para reforçar os estudos e driblar a curva do esquecimento, há várias técnicas de estudo e memorização, você pode mesclar diversas delas na sua rotina de estudos.

Para começar a fixar mais conteúdo e não esquecer informações com o passar do tempo, é importante incluir revisões programadas no seu cronograma de estudos.

Uma ótima opção é você separar um tempinho antes de começar os estudos do dia para revisar o conteúdo estudado no dia anterior.

Você pode optar por usar resumos feitos por você, resumos prontos, ler as partes grifadas no seu material de estudos ou revisar por mapas mentais. O importante é refrescar a sua memória.

Não é preciso gastar muito tempo fazendo as suas revisões, até porque você precisa cumprir todo o programa do edital e, geralmente, é muita coisa! Se você conseguir revisar cerca de 20 minutos por dia já é o suficiente.

Outra excelente dica para não cair na curva de esquecimento é resolver questões referentes à matéria estudada no final do dia, ou, como nas revisões lidas, no dia seguinte, antes de começar a estudar outras matérias.

Os simulados para concursos também devem ser feitos periodicamente não apenas para treinar o estilo de prova, mas como técnica de fixação de informações na memória de longo prazo.

Quando você resolver questões, é importante analisar também as alternativas erradas, entendendo o porquê de serem incorretas. Ao estudar cada alternativa, você revisará muito mais conteúdo, de forma rápida e efetiva.

Quero ver as Dicas do Campeão de Memória

Você já conhecia a curva do esquecimento? Já fez algo para diminuir a sua? Conte para nós sobre a sua experiência e compartilhe este artigo com os seus amigos concurseiros(as).