TRANSFORMANDO O ESTRESSE EM PRODUTIVIDADE

Tempo de leitura: 5 minutos

Nessa vida insana de concurseiro, sabemos que o estresse acaba sendo inevitável.

Mas você sabia que é possível transformar o estresse em produtividade?!

Estresse em excesso é ruim para qualquer um, pois nos prejudica desde a saúde até a produtividade.

No entanto, embora haja maneiras comprovadas para reduzir o estresse (alimentação, atividade física…), às vezes é inevitável nesse somatório de vida pessoal, profissional, social, concurso… a verdade é que você está fazendo grandes coisas, é inevitável.

É por isso que novas pesquisas sugerem que muito do estresse que encontramos pode realmente ser aproveitado de maneiras positivas e transformado em produtividade.

Especialistas em psicologia da HARVARD BUSINESS REVIEW nos desafiam a pensar em momentos que tivemos mais sucesso e desempenho em alto nível – você estava motivado pelo estresse nesse período?

A resposta é provavelmente um forte ‘sim’, o que nos mostra que o estresse nem sempre tem que ser negativo quando canalizado da maneira correta.

Atente ao que os especialistas de Harvard sugerem para maximizar os benefícios do estresse, reduzindo os efeitos prejudiciais que pode ter sobre nossos corpos, relacionamentos e carreiras:

RECONHECÊ-LO

O estresse é inevitável, tanto quanto amanhã será um novo dia. Se você não fica estressado, nunca ficou, não conhece o significado dessa palavra… pode ser que você seja uma espécie rara, um ser de outro planeta, um X-MEN, quem sabe, ou, provavelmente, está vivendo uma vida bastante improdutiva.

O primeiro passo para lidar com o estresse é reconhecê-lo, então, você pode decidir o que quer fazer com ele.

Agora prepare-se para uma escolha importante: você precisa decidir se enxergará o estresse como combustível ou como fator incapacitante.

“Possuir essa realização desencadeia motivação positiva – porque no fundo sabemos que coisas importantes não devem ser sempre fáceis”.

Alicia e Thomas Crum em Harvard Business Review.

É simples mesmo, reconheça o estresse como um efeito colateral de estar sempre desafiando a si mesmo.

De acordo com o especialista em psicologia positiva, SHAWN ACHOR, nossa função cerebral melhora quando enquadramos um desafio como positivo. Quando você se torna uma pessoa positiva, o seu cérebro se expande, permitindo maior rapidez no processamento e maior produtividade.

Essa é uma postura possível de se conseguir quando o cérebro é treinado para reconhecer o estresse como um subproduto do seu sucesso, ao invés de algo a temer.

USE-O

O “estresse” não foi projetado para te matar. Acompanhe-me em uma pequena viagem no tempo: época do Homo Sapiens, quando ainda éramos caçadores coletores, momento que o ser humano ainda não estava no topo da cadeia alimentar e nem possuía casas enormes.

Nessa época o estresse era, na verdade, uma poderosa ferramenta capaz de nos manter vivos, pois servia para conservar o alerta sempre ligado (mais conhecido como “sentido aranha” rs).

Lembra do último artigo, quando conversávamos sobre foco estimulado (acontece quando você, por exemplo, ouve um barulho alto, alguém aparece de surpresa…), pois é, o nosso cérebro ainda guarda resquícios da época que qualquer barulho ou movimento suspeito poderia representar uma ameaça.

Alicia e Thomas Crum também descobriram que: “Os hormônios do estresse realmente induzem o crescimento e liberam substâncias químicas no corpo que reconstroem as células, sintetizam proteínas e aumentam a imunidade, deixando o corpo ainda mais forte e saudável do que era antes. Os pesquisadores chamam este efeito de prosperidade fisiológica, e qualquer atleta sabe suas recompensas. “

O simples ato de enquadrar esse estresse como um realçador de desempenho (ao invés de algo que o prejudica), pode fazer toda a diferença.

NÃO CAMINHE SOZINHO

Alguns ainda não sabem como é extremamente importante trabalhar os nossos relacionamentos. Sabe aquela semana que tudo parece dar errado, aquele dia que pensamos em desistir de tudo ou aquela total sensação que a vida está fora dos trilhos. Calma, todos temos dias assim! E é nessa hora que o verdadeiro amigo se faz presente!

Quer um conselho?! Tá bom, eu sei, a minha avó também dizia que se conselho fosse bom não dava, vendia… mesmo assim eu vou dizer (rs), afaste-se do coleguinha que só tem pensamentos e atitudes negativas, sério, isso é contagioso!

PREOCULPE-SE APENAS COM O QUE VOCÊ PODE MUDAR

Stephen Hawking disse certa vez: “Uma das regras básicas do universo é que nada é perfeito. A perfeição simplesmente não existe”.

Há um milhão e meio de coisas que estão totalmente fora do seu controle, não importa o quanto se esforce, simplesmente não dá para controlar. Então, foque apenas no que depende de você mudar.

No livro de ACHOR, “THE HAPPINESS ADVANTAGE”, ele chama essa prática de “Experiência da Ilha”. Ele sugere que você escreva uma lista de coisa ou situações estressantes e as coloque em dois círculos, “ilhas”.

Em uma ilha coloque as coisas que você pode controlar e na outra as coisas que você não pode. Feito isso, ignore o que está escrito na que não pode controlar e escolha uma única ação concreta para enfrentar tudo o que pode. Com essa pequena atitude você se sentirá mais leve e livre do estresse desnecessário, o que certamente ajudará a movê-lo na direção dos seus objetivos.

CONCLUSÃO

Entenda, melhorar -  não significa perfeição.

Quando falando sobre o estresse, a prática é a chave para aprender a lidar melhor.

Percebeu que está ficando estressado – acalma o coração e relaxa a musculatura (rs) – tente praticar algumas das técnicas conversadas hoje. Só assim será possível se preparar para uma carga realmente alta de estresse.

Pense nisso como se você estivesse treinando para uma maratona: você não pode simplesmente esperar correr 21km sem treinar muito nos meses que antecederam o evento principal.

Você tem alguma dica para usar o estresse de forma produtiva? Quero ouvir de você – deixe um comentário!

É sempre um prazer lê-los (a) conosco!

Grande abraço e bons estudos!!